A INFIDELIDADE AO CATOLICISMO DO ESTADO NOVO PORTUGUÊS

Pro Roma Mariana

Infelizmente o desconhecimento, religioso e político, de muitas pessoas, condú-las a proclamar haver sido o Estado Novo Português (1926-1974) um regime católico e fiel a Nosso Senhor.

Ora nada mais falso. Pois que o referido regime CONTEMPLOU A SACROSSANTA RELIGIÃO CATÓLICA, NUNCA COMO UM VALOR ABSOLUTO EM SI MESMO, MAS SIM COMO UM PURO MEIO DE COESÃO POLÍTICO-SOCIAL. Efectivamente, a Constituição de 1933, criminosamente, durante os seus 41 anos de vigência, nunca reconheceu a Santa Madre Igreja como sociedade perfeita, nem como autoridade de Direito Público, nem ainda reconheceu a Soberania dos Corações de Jesus e Maria como único fundamento da ordem social. A Concordata de 1940 prosseguiu o laicismo da Constituição, e só foi assinada pela Santa Sé porque esta se consciencializou de que não podia obter mais.

São Tomás de Aquino ensina que tem de existir uma proporção ontológica entre o meio político- social e as leis que…

View original post 1,355 more words

Advertisements

A AVERSÃO AO ESPÍRITO DE SACRIFÍCIO NA PROFECIA DE MALAQUIAS — Pro Roma Mariana

Arai Daniele Exprobações aos sacerdotes desviados “A minha aliança com ele (Levi) foi de vida e de paz; e eu dei-lhe o meu temor, e ele temeu-me, e tremia de medo diante da face do meu Nome. A lei da verdade esteve na sua boca e a iniqüidade não se achou nos seus lábios; andou […]

via A AVERSÃO AO ESPÍRITO DE SACRIFÍCIO NA PROFECIA DE MALAQUIAS — Pro Roma Mariana